Posts tagged "Alcides Vogel"

varizes em outras partes do corpo

É normal surgir varizes em outras partes do corpo?

agosto 7th, 2017 Posted by Doenças Vasculares, Sem categoria, Varizes 0 comments on “É normal surgir varizes em outras partes do corpo?”

As varizes são veias dilatadas e deformadas que costumam surgir principalmente nos membros inferiores, mas também podem aparecer em qualquer parte do corpo. Esse tipo de deformação compromete a função dos vasos sanguíneos de levar o sangue de volta ao coração.

É nos membros inferiores que está a maior dificuldade de retorno sanguíneo, sendo que ele flui contra a gravidade, e é através de um sistema de válvulas no interior das veias, que facilita esse retorno. Após o impulsionamento do sangue para cima, as válvulas se fecham para que ele não volte.

E é ao decorrer do tempo e com o trabalho contínuo contra a gravidade, que provoca um desgaste dessas válvulas e estruturas das veias, a pressão aumenta na perna e, consequentemente, as veias dilatam. E é essa dilatação e deformação das veias que é denominada de varizes.

As pessoas que tem na genética problemas de varizes, possuem o tecido que constitui a válvula geneticamente mais fraco, perdendo a elasticidade, o que por consequência gera a dilatação da veia mais facilmente do que nas pessoas que não possuem essa herança genética.

Além das pernas

É difícil, e de certa maneira incomum, mas o desenvolvimento de varizes em outras partes do corpo podem sim ocorrer em algumas pessoas. Apesar disso, essas ocorrências são específicas e podem variar.

Uma região que também pode desenvolver varizes é a área do rosto, mas é ainda mais infrequente. Nessa região o mais comum é o aparecimento de “vasinhos”, que não tem nenhuma relação com o desenvolvimento nas pernas.

Como funciona o tratamento de varizes em outras áreas do corpo

Em relação aos “vasinhos” desenvolvidos no rosto, o tratamento deve ser feito apenas com laser transdérmico, que é um tipo de luz específica, sendo aplicada sobre a pele seletivamente absorvida pelo sangue, aquecendo-o sem aquecer os tecidos ao redor, ou seja, é um tipo de escleroterapia térmica. Funciona aquecendo o sangue (a altas temperaturas) e causando a contração e, consequentemente, a oclusão do vaso.

A surgimento de varizes nos membros superiores são incomuns porque neles o sangue flui espontaneamente, sem pressão muito elevada no retorno, já que os braços estão na altura do coração.

Estação para operar varizes

Existe uma estação mais adequada para o tratamento de varizes?

junho 29th, 2017 Posted by Varizes 0 comments on “Existe uma estação mais adequada para o tratamento de varizes?”

É no verão que a maioria das pessoas lembram e dão importância às varizes, já que é a estação onde as pernas ficam mais em evidência. Nesta hora, surge o arrependimento de não ter tratado este problema antes. A melhor época para cuidar das varizes é o inverno. Durante os meses de maio a setembro, as temperaturas estão mais amenas e as pernas podem ficar escondidas e protegidas do sol enquanto se faz o tratamento.

Para as teleangectasias (vasinhos), que são aquelas veias finas e arroxeadas nas pernas, o melhor tratamento é a escleroterapia. Neste tratamento, aplicações de medicamentos fazem os vasinhos desaparecerem. Após as aplicações é necessário evitar a exposição ao sol, para prevenir o aparecimento de manchas.Por isso o tratamento é indicado no inverno, pois evitar o sol nessa estação é muito mais fácil do que no verão.

Para as varizes maiores, que necessitam de procedimentos cirúrgicos para serem removidas, o inverno também é a melhor época para o tratamento, pois além de evitar o aparecimento de manchas evita cicatrizes aparentes. Além disso, usar a meia de compressão elástica ajuda a acelerar a recuperação e ela é mais confortável no frio

A maior vantagem em se tratar as varizes no inverno é ficar com as pernas prontas para aproveitar o verão. Além de melhorar a aparência estética, o tratamento das varizes proporciona melhora da saúde, bem estar e qualidade de vida.

sindrome-da-classe-economica-ou-do-vianjante

Saiba mais sobre a Síndrome da Classe Econômica (Síndrome do Viajante)

setembro 26th, 2016 Posted by Doenças Vasculares, Varizes 0 comments on “Saiba mais sobre a Síndrome da Classe Econômica (Síndrome do Viajante)”

Você talvez não conheça, mas a Síndrome da Classe Econômica ou também chamada de Síndrome do Viajante afeta inúmeras pessoas todos os anos, e principalmente em épocas de férias e nos períodos de festas de final de ano, que é quando muitas dessas pessoas programam viagens mais longas. É neste momento que os viajantes passam muito tempo sentados, na mesma posição, assim podendo desenvolver Trombose Venosa Profunda (TVP).

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), no ano de 2012, 500 passageiros morreram durante voos em todo o mundo em decorrência dessa síndrome. Ela afeta especialmente pessoas que passam a viagem inteira sentadas, e acabam desenvolvendo a Trombose Venosa Profunda (TVP). Esse mal costuma se manifestar quando o viajante já chegou ao destino e está em casa ou no hotel, sendo então o óbito registrado como um “mal súbito”.

O que é Trombose Venosa Profunda?

 

Trombose é a formação de coágulos sanguíneos (trombos), ou seja, bolhas de sangue que se desenvolvem dentro de um vaso sanguíneo venoso, o que dificulta o fluxo sanguíneo e quanto menos o sangue circular, maior será a chance de um trombo ou coágulo se formar dentro dos vasos. Os Trombos ou coágulos podem ser formar nas veias das pernas, principalmente na dobra do joelho, devido à pressão que as poltronas de aviões e bancos de ônibus fazem na região.

 

Quais o fatores de risco que levam à Síndrome da Classe Econômica?

 

A Síndrome da Classe Econômica ocorre com mais frequência em viajantes que apresentam fatores de risco individuais, ou por outros fatores de risco, tais como:

  • Desidratação
  • Obesidade
  • Tabagismo
  • Ingestão de álcool
  • Uso de calmantes
  • Hereditariedade (histórico anterior de TVP)
  • Pressurização das cabines, pouco espaço para movimentação
  • Compressão prolongada das veias dos membros inferiores contra as bordas dos assentos.

 

Como a Síndrome da Classe Econômica afeta as pessoas?

 

As pessoas que realizam viagens de longa duração, são afetadas e desenvolvem a síndrome principalmente devido a estagnação do sangue pela dificuldade ou impossibilidade de andar ou se movimentar normalmente.

Quais os sintomas da Síndrome da Classe Econômica?

 

  • Inchaço, dor ou desconforto no membro afetado.
  • Calor e vermelhidão da pele.

 

A síndrome do viajante pode causar embolia pulmonar?

 

A síndrome tem como consequência muitas vezes a embolia pulmonar, que consiste na migração do coágulo formado nas veias da perna para a artéria pulmonar. A síndrome da classe econômica, ou síndrome do viajante, é descrita para caracterizar pacientes acometidos de embolia pulmonar depois de uma viagem longa.

 

Quais os sintomas da Embolia Pulmonar?

 

  • Falta de fôlego sem explicação aparente.
  • Dor no peito e nas costas.
  • Tosse (que pode conter sangue).
  • Tontura ou desmaio.

Como evitar a Síndrome da Classe Econômica?

 

Para evitar esse tipo de problema algumas atitudes simples podem e devem ser tomadas por pessoas que viajam bastante e pretendem fazer viagens mais longas, como:

  • Usar durante a viagem meias de compressão, que ajudam a ativar a circulação no momento em se está parado. O uso preventivo evita a manifestação de pernas inchadas, cansadas, doloridas e também o inchaço dos pés e tornozelos, durante longas viagens.
  • De duas em duas horas faça exercícios com os pés, para cima, para baixo e em círculos, proporcionando a movimentação da panturrilha.
  • Caminhar um pouco, a cada duas horas, pelo corredor do avião, ônibus ou trem.
  • Beba líquidos não alcoólicos antes e durante a viagem, mantendo assim uma boa hidratação.
  • Usar roupas confortáveis.
  • Elevar os pés, sempre que possível.

Receba nossas novidades!

Facebook